Pressione "Enter" para pular para o conteúdo

Cultura

Codinome Daniel: musical do Núcleo Experimental homenageia Herbert Daniel

No universo artístico do Núcleo Experimental, conhecido por dar voz a grupos minoritários e dedicar-se à pesquisa sobre o Teatro Musical brasileiro, surge uma homenagem inédita que promete emocionar e conscientizar o público. “Codinome Daniel,” o mais recente trabalho do grupo, presta reverência ao jornalista Herbert Daniel (1946-1992), destacado ativista LGBTQIAPN+ na incansável luta pelos direitos das pessoas com HIV/Aids.

A peça, dirigida e com dramaturgia e letras assinadas por Zé Henrique de Paula, apresenta-se como uma poderosa narrativa que desvela a vida e obra ainda pouco exploradas de Herbert Daniel. A estreia está marcada para o dia 12 de janeiro de 2024, na sede do Núcleo Experimental, situada na Barra Funda. O espetáculo seguirá em cartaz até 4 de março, com apresentações às segundas, sextas e sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h.

Uma Jornada de Arte e Comprometimento Social

Com direção musical e música original por Fernanda Maia, o elenco estelar inclui Davi Tápias, Luciana Ramanzini, Fabiano Augusto, André Loddi, Lola Fanucchi, Cleomácio Inácio, Renato Caetano e Paulo Viel. A proposta é mergulhar nas nuances da vida de Herbert Daniel, um revolucionário que desafiou tanto a ditadura de direita quanto setores da esquerda permeados pela homofobia e heteronormatividade.

Zé Henrique de Paula destaca a intenção de iluminar a figura subestimada de Herbert Daniel na história recente do movimento LGBTQIAPN+ no Brasil. “Pretendemos levar ao público a vida e a obra, ainda muito desconhecida, do jornalista e escritor Herbert Daniel, um revolucionário gay que desafiou tanto a ditadura de direita quanto os setores da esquerda que reproduziam a homofobia e a heteronormatividade”, comenta o diretor.

O Legado de Herbert Daniel: Da Militância Armada ao Ativismo pelo HIV/Aids

Herbert Daniel, cujo nome de batismo é Herbert Eustáquio de Carvalho, é uma figura essencial, porém muitas vezes esquecida, na história brasileira recente. Sua importância se destaca na luta armada contra a ditadura de 1964 e no processo de redemocratização do Brasil. Estudante de medicina na UFMG, Herbert engajou-se em grupos guerrilheiros no final da década de 1960, participando de assaltos a bancos e sequestros de diplomatas estrangeiros.

Além de seu papel fundamental na resistência contra o regime autoritário, Herbert enfrentou a violência de uma ditadura moralizante e LGBTfóbica, e a rejeição de seus colegas de guerrilha devido à sua homossexualidade. Em meio a esse dilema, ele optou por “esquecer sua homossexualidade” em prol da revolução, tornando-se um dos “subversivos” mais procurados pelo regime.

Após um período de exílio em Portugal e na França, onde contraiu HIV, Herbert retornou ao Brasil como o último dos anistiados, tornando-se um ativista fundamental pelos direitos das pessoas vivendo com HIV/Aids. Sua contribuição vai além da saúde, influenciando áreas como direitos humanos e ambientalismo. Herbert Daniel faleceu em 1992, vítima de complicações causadas pela AIDS.

Codinome Daniel: Uma Trilogia Para a Vida

A peça Codinome Daniel é a terceira parte da chamada “Uma Trilogia Para a Vida,” que inclui os espetáculos “Lembro todo dia de você e Brenda Lee” e “o palácio das princesas.” Todas as obras compartilham o fio condutor das discussões sobre a questão do HIV/Aids no Brasil, abrangendo desde a década de 80 até os dias atuais.

Ao recontar a vida extraordinária de Herbert Daniel, Codinome Daniel não apenas homenageia um herói esquecido, mas também busca reacender a memória coletiva sobre sua contribuição para a democracia, diversidade e justiça social. Como destaca Zé Henrique de Paula, “Acreditamos que o teatro pode ser uma ferramenta poderosa no sentido de reacender uma luz sobre essa figura menosprezada da história do movimento LGBTQIAPN+ no Brasil recente.”

Inspiração na Biografia de James Green

A dramaturgia de Codinome Daniel é fortemente influenciada pela biografia escrita por James Green, historiador e brasilianista norte-americano, lançada em 2018 com o título “Revolucionário e Gay: a extraordinária vida de Herbert Daniel.” Green destaca a coragem de Herbert, um dos primeiros a assumir publicamente ser gay e soropositivo, além de trazer ideias revolucionárias para enfrentar a epidemia e o preconceito social.

“Ele trouxe ideias revolucionárias para enfrentar a doença e o preconceito social, e elas ainda são válidas até hoje, como a ideia de solidariedade no combate à epidemia”, afirma James Green. A biografia serve como uma fonte valiosa para a construção do espetáculo, proporcionando uma abordagem profunda e respeitosa sobre a vida do ativista.

SERVIÇO

Codinome Daniel, do Núcleo Experimental

Temporada: 12 de janeiro a 4 de março de 2024

Sextas, sábados e segundas, às 21h, e domingos, às 19h

Teatro do Núcleo Experimental – Rua Barra Funda, 637, Barra Funda

Ingressos: R$40 (inteira) e R$20 (meia-entrada)

Venda pelo site Sympla

Classificação: 12 anos

Duração: 120 minutos

Mais informações em @nucleoexp

Este projeto foi contemplado na 40a. edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Câmara LGBT usa cookies essenciais e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com as condições da nossa Política de Preivacidade.